Sebastião de Sousa

Mestre em Biblioteconomia e Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba, licenciado em Letras Neolatinas e graduado em Filosofia e Pedagogia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Lorena, São Paulo, e bacharel em Biblioteconomia pela Universidade de Brasília (UnB). Professor aposentado pela UnB, onde foi Coordenador dos cursos de Arquivologia e Biblioteconomia e Subchefe do Departamento de Biblioteconomia, é considerado uma das maiores autoridades em CDU na América do Sul. Em 2001, escreveu o livro CDU – Como entender e utilizar a Edição-Padrão Internacional em Língua Portuguesa, que já se encontra em sua terceira edição revisada (2004). Em 2009, atualizou o livro acima citado, que passou a ser intitulado CDU – Como entender e utilizar a 2ª Edição-Padrão Internacional em Língua Portuguesa, cuja terceira edição foi publicada em 2012. Há vários anos, o Professor vem ministrando cursos de atualização em CDU em Brasília e em outras capitais do País.

Em 2003, o presidente e a editora-chefe do Consórcio da Classificação Decimal Universal (CDU), Alan Hopkinson e Aida Slavic, respectivamente, convidaram o professor Sebastião de Souza*, servidor aposentado do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), especialista em classificação decimal, para atuar, até 2014, como consultor Internacional em CDU.

O trabalho do Professor junto ao Consórcio consiste em apresentar sugestões de revisão de classes da CDU, propor colaboradores na revisão de áreas específicas, disseminar informações sobre a CDU, promover traduções, coletar bibliografias brasileiras e participar de projetos de pesquisa em CDU.

A CDU é um sistema internacional de classificação de documentos fundamentado no conceito de que o conhecimento humano pode ser dividido em 10 classes principais, e estas, por sua vez, podem ser infinitamente divididas em uma hierarquia decimal. É um sistema de classificação consolidado, largamente utilizado pelas bibliotecas em todo o mundo.

Sebastião de Souza define a CDU como “uma linguagem de indexação e recuperação de todo o conhecimento registrado, na qual cada assunto é simbolizado por um código baseado nos números arábicos”. Segundo ele, “classificar é um ato de amor à cultura e à humanidade, pois uma boa classificação permite melhor recuperação dos documentos e isso representa melhores serviços prestados aos usuários, meta final de toda profissão social.”.

O IBICT é detentor da licença para edição da CDU em língua portuguesa desde 1977, licença essa concedida pelo Consórcio CDU (proprietário intelectual da Classificação Decimal Universal).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s